Preso e condenado homem que furou camisinhas sem contar à parceira

Redação Por: Redação

Mundo Novidades

Publicado em 06/10/2020 09:14h

Preso e condenado homem que furou camisinhas sem contar à parceira

O caso é enquadrado como estupro

Buscando ter “mais intimidade”, Andrew Lewis, de 47 anos, furou camisinhas de propósito, esperando que elas se rompessem durante o ato sexual e sua parceira desistisse de usá-las. A atitude criminosa fez o maquinista ser condenado a quatro anos de prisão por estupro. O caso aconteceu em Worcester, Inglaterra.

A vítima foi enganada pelo parceiro em 10 de março de 2018, quando concordou em fazer sexo consensual com Andrew, com a condição de que ele usasse proteção. No entanto, ela encontrou um alfinete e outros preservativos furados na gaveta de cabeceira dele. Na lixeira, ela descobriu outro com um buraco na ponta.A mulher o confrontou, mas ele negou. Então, ela foi à polícia e fez a denúncia, dizendo para ele que os atos eram “pura maldade”.

Depois, o homem confessou que furou as camisinhas esperando que elas rasgassem e “melhorassem a intimidade” para ele. Lewis chamou o ato criminoso de “a coisa mais estúpida” que ele já fez. Para o promotor do caso, Glyn Samuel, afirmou que havia um “grau de planejamento envolvido”.

 

O juiz Nicholas Cole disse a Lewis que teve a sorte de não ter engravidado sua vítima e o sentenciou a quatro anos de detenção. O juiz afirmou que a mulher deixou claro que não queria um filho e só consentiu com base no fato de que o homem usava preservativo. Ele acrescentou: “Foi uma quebra de confiança. O delito de estupro é tão sério que uma sentença de custódia é apropriada”.

Por: O Liberal - Redação Integrada com informações de Metro

Comentários

Deixe seu comentário abaixo sobre esta notícia:

É Notícia Barcarena - Blog de Notícias